27 de novembro de 2020

7 destinos para solteiros que são melhores que o Tinder

Esqueça os aplicativos de celular e aproveite a malemolência brasileira para fazer turismo e quem sabe encontrar um par na sua próxima viagem

Tinder Match

Atenção solteiros! Cansados de passar horas a fio no Tinder e não conseguir marcar um encontro sequer?

Que tal aproveitar sua próxima viagem para unir o útil ao agradável então? Porque não escolher um destino onde além de fazer turismo você pode também aproveitar a noite e usar toda sua malemolência latina para conseguir um “match” na vida real?

Prepare suas melhores cantadas, separe aquele look irresistível e vá à luta numa destas cidades conhecidas pela agitada vida noturna.

Celular só se for pra trocar o número de telefone

 

Continua após a publicidade

1. Dublin, Irlanda

A Moody´s menciona ainda que as perspectivas de crescimento da Irlanda ficaram enfraquecidas

Quem nunca ouviu falar da noite de Dublin? Conhecida por seus incontáveis bares e pubs, a região de Temple Bar é o lugar para quem quer se divertir. Muita cerveja, gente animada e um clima único reinam na capital irlandesa. Um dos programas favoritos dos locais é o “bar crawl”, que nada mais é do que “rastejar” de bar em bar. Mas guarde um pouco de energia para conhecer a cidade durante o dia. Ou aproveite para curar a ressaca ao ar livre.

Onde ir: O’Donoghues, 15 Merrion Row

Onde ficar: Herbert Park Hotel, diária média de R$410 a R$835

 

Continua após a publicidade

2. Belgrado, Sérvia

Belgrado, capital da Sérvia

Com o fim da guerra civil, a vida noturna na capital da Sérvia desabrochou e hoje é marca registrada da cidade. Há quem compare Belgrado a Ibiza neste quesito, com a diferença que as baladas funcionam o ano todo, diferentemente da ilha espanhola. Os clubes em Belgrado não cobram entrada e é comum encontrar ambientes para 300 a 500 pessoas. A cidade tem clubes de inverno, em ambientes fechados, ou clubes de verão, ao ar livre. Há também os chamados “splavs” que são clubes feitos em balsas ancoradas no rio. Mas sempre faça reserva para não correr o risco de ficar do lado de fora.

Onde ir: Dragstor Play, kod Muzeja savremene umetnosti

Onde ficar: Jump Inn Hotel Belgrade, diária média de R$240 a R$380

 

Continua após a publicidade

3. Austin, EUA

Austin, Texas

Cidade universitária e conhecida como capital mundial da música ao vivo, se ninguém te avisar, é capaz de você nem perceber que está nos EUA. Pequena porém muito vibrante e de vida noturna agitada, Austin é o destino perfeito para quem quer se divertir. A 6th Street é formada por centenas de bares, pubs, clubes e restaurantes. Mas não se engane, nas ruas paralelas há milhares de outras opções. Há lugares para todos os gostos e bolsos. Clubes gays, bares para jogar bilhar, karaokês, inferninhos… em Austin, você escolhe. Durante o dia ainda dá para fazer esportes ao ar livre à beira do rio e tentar a cantada que não deu certo na noite anterior.

Onde ir: Pete’s Dueling Piano Bar, 421 East 6th Street

Onde ficar: Austin Motel, diária média de R$330 a R$630

 

Continua após a publicidade

4. Barcelona, Espanha

Barcelona

Não se deixe enganar pelas milhares de atrações turísticas para se fazer durante o dia em Barcelona. A noite da cidade é tão _ou mais_ agitada quanto o dia! Quem nunca ouviu falar das baladas de oito andares que só abrem no meio da madrugada? Ou dos clubes que só fecham as portas horas depois de o sol já ter raiado? Os catalães podem ser separatistas, mas quando o assunto é balada o negócio é diferente. Um dos programas preferidos entre os espanhóis é fazer a “movida” ou o tal do “bar crawl”, em castelhano. Comece com uma sangria e um picho, passe para uma caña e no final da noite você estará fluente em catalão

Onde ir: Nitsa Club, Carrer Nou de la Rambla, 113

Onde ficar: Praktik Rambla, diária média de R$265 a R$745

 

Continua após a publicidade

5. Tóquio, Japão

Tóquio

Você certamente já ouviu dizer que Nova York é a cidade que nunca dorme. Mas verdade seja dita, Tóquio dorme menos ainda. Não importa a hora, do dia ou da noite, talvez por ter tantos turistas sofrendo com o jet lag, a capital japonesa sempre tem diversão a oferecer. Seja num karaokê qualquer, no famoso Robot Bar ou no New York Bar que ficou conhecido no filme Encontros e Desencontros, você vai se divertir. Se Ginza é um bairro muito chique para você, tente a sorte em Roppongi, onde há milhares de bares de todos os tipos e muita, mas muita gente querendo se divertir. Só cuidado para não exagerar no saquê e esquecer a cantada que tinha preparado!

Onde ir: Odeon, 六本木3丁目15−23, 3F, Minato

Onde ficar: Sunroute Plaza Shinjuku, diária média de R$400 a R$610

 

Continua após a publicidade

6. Buenos Aires, Argentina

Puerto Madero

Se você ainda tem birra com os hermanos, deixe ela pra trás e aproveite as boas coisas que Buenos Aires tem a oferecer, entre elas uma excelente vida noturna. E por noturna leia-se noturna mesmo, já que eles adoram sair pra balada depois da meia-noite (o que significa que não termina antes de o sol nascer). Seja na Recoleta ou em Palermo, há milhares de lugares para escolher. Tango, bares, clubes e bares secretos, que existem aos montes na capital argentina. As possibilidades são inúmeras. Não deixe de aproveitar a siesta para se preparar para a noite, que para os portenhos é sempre uma criança.

Onde ir: Kika Club, Honduras 5339

Onde ficar: Palermitano Hotel, diária média de R$260 a R$1.430

 

Continua após a publicidade

7. São Paulo

São Paulo

Verdade seja dita. São Paulo não tem nem de longe a beleza de outras cidades brasileiras, mas compensa a falta de encanto com uma vida noturna que não deixa a desejar para nenhum lugar do mundo. De restaurantes de todos os tipos, a bares para todos os gostos e baladas para todas as tribos, São Paulo oferece de tudo. As opções são tantas que é até difícil escolher. Mas não se preocupe se optar por um barzinho mais relaxado na Vila Madalena, um clube mais VIP na Vila Olímpia ou uma balada alternativa na Augusta, você certamente irá encontrar um lugar para se divertir. E porque não começar com um happy hour, depois partir para um jantar, uma balada depois e terminar matando a fome da madrugada em outro lugar. As possibilidades são infinitas.

Onde ir: D-Edge, Av. Auro Soares de Moura Andrade, 141, Barra Funda

Onde ficar: Grand Hyatt São Paulo, diária média de R$440 a R$980

 

Continua após a publicidade

 

Continua após a publicidade

 

Continua após a publicidade

Continua após a publicidade

Cresta Help Chat
Send via WhatsApp
11993455895